A verdadeira história de Maria Desatadora dos Nós

Maria Desatadora dos Nós é uma devoção que surgiu em 1700, na cidade de Ausburgo, na Alemanha. Um pintor desconhecido pintou a Virgem Maria inspirado na meditação feita por São Irineu, bispo de Lyon e mártir no ano 202, que, à luz do paralelismo escrito por São Paulo sobre Adão-Cristo, criou o de Eva-Maria, dizendo: “Eva, por sua desobediência, atou o nó da desgraça para o gênero humano; ao contrário, Maria, por sua obediência, o desatou!”

Maria é representada como a Imaculada Conceição. Percebe-se que ela está situada entre o céu e a terra. Sobre a Virgem o Espírito Santo derrama suas luzes. Sua cabeça encontra-se adornada de doze estrelas, que remetem às doze tribos de Israel e aos doze apóstolos.    
Um dos anjos entrega-lhe uma faixa com nós maiores e menores, separados e juntos. Estes nós simbolizam o pecado original, nossos pecados cotidianos e suas conseqüências que impedem à graça frutificar livremente em nossa vida.
Na parte inferior do quadro vemos que a faixa cai livremente. Um nó foi desatado. Há um anjo e um homem e entre eles um cachorro. Dirigem-se a uma igreja. Pode-se ver aí uma referência ao livro de Tobias (6,13), onde o jovem Tobias empreende uma longa e penosa viagem na qual conhece Sara. Sara já se casara sete vezes devido a um demônio que dela se enamorara. Todos os seus maridos morreram na noite das núpcias. Tobias consegue casar-se com ela e voltar à casa de seu pai. Isto significa que para dois corações realmente se encontrarem, há que se desatar primeiro muitos nós.
Nossa Senhora Desatadora dos Nós é invocada como aquela que nos ajuda a desatar todos os nossos males e aflições, todo o mal que nos escraviza e nos torna infelizes e pessimistas. Livres de todas as cadeias que nos prendem ao egoísmo, abrimo-nos nosso coração a Seu Filho Jesus para finalmente saber em que consiste a verdadeira liberdade dos filhos de Deus.

Este quadro foi então colocado na pequena igreja de São Peter am Perlack em Ausburgo e ali está até hoje nesta igreja que é cuidada pelos jesuítas locais. Ali foi onde tudo começou, fonte desta fé. A devoção à Maria Desatadora dos Nós, então, como vocês podem ver, já existe há 300 anos!

Portanto, não é uma devoção de agora. Não se trata de uma aparição da Virgem Maria a alguém, como aconteceu em Lourdes ou em Fátima. Trata-se de uma devoção respeitada como tantas outras existentes na Igreja Católica, embora a Virgem Maria seja uma só.

Vivemos em tempos difíceis onde os problemas, os nós, as tentações, a falta de paz, enfim, o mal que nos cerca de todos os lados, parece querer nos devorar vivos, como leão. (I Pedro 5,8).

Por isso, Aquela que Desata os Nós, escolhida por Deus para esmagar com seus pés este mal, vem se manifestar como nunca hoje, não só para nos dar emprego, saúde, reconciliação na família e outras coisas, mas, principalmente porque quer desatar os nós dos pecados que dominam nossas vidas, para que, livres deles, como filhos de Rei, possamos receber as promessas que nos estão reservadas desde a eternidade. Promessas de vitória, de paz, de bênçãos, de reconciliação.

E, livres dos nós, mais felizes então, poderemos ser testemunhas do poder divino, réplicas pequenas do Coração de Deus neste mundo, frascos de perfume que exalam misericórdia e amor aos outros, embaixadores de Cristo e da Virgem do Belo Amor, àqueles que choram sem consolo, que estão sós, atados de nós, sem Deus, sem Pai, sem Mãe!
Oração a Nossa Senhora Desatadora dos Nós
Santa Mãe, cheia da graça de Deus, ao longo de vossa vida nunca fostes cativa das tentações do Maligno, pois aceitastes sem jamais duvidar a vontade do Senhor. Intercedestes sempre por nós com nossos problemas, como nas Bodas de Caná, ensinando-nos como desamarrar o nó de nossas dificuldades. Jesus, na triste tarde de Sua morte, deixou-vos como nossa Mãe e como Mãe ordenais e facilitais nossa união com o Senhor.
Santíssima Virgem, Nossa Mãe, que desatais os nós que dificultam nossa vida, pedimo-vos que recebais em vossas mãos materna a ................... (diz-se o nome da pessoa) Livrai-o das ataduras e desvios com os quais o tenta o Maligno!
Por vossa intercessão livrai-nos o Senhor de todo mal!
Querida Mãe, desatai os nós que nos separam de Deus para que, livres do pecado, nós O busquemos e O encontremos em nosso semelhante, bendizendo-O sempre como nosso Pai e Único Senhor. Amém.