Missão do Bispo

Uma das missões do bispo diocesano é zelar pelos fiéis de rito oriental residentes em sua diocese. Assim, no dia 28 de março de 2006, com plena concordância de D. Luiz Gonzaga Bergonzini, foi instalada a Paróquia Maronita São Charbel, no território da Diocese de Guarulhos, na Igreja Sagrado Coração de Jesus, que passou a ser a sede da nova paróquia. Coube ao Arcebispo Maronita do Brasil à época, D. Joseph Mahfouz, criar e instalar a referida paróquia, nomeando o primeiro pároco, Padre Antonio Bosco da Silva, que obteve a ter biritualidade, com permissão da Congregação para as Igrejas Orientais. Embora a paróquia São Charbel esteja sob a responsabilidade da Arquidiocese Maronita do Brasil, a presença do bispo diocesano local é sempre bem-vinda, pois expressa a comunhão e a universalidade da Igreja. Assim, por algumas vezes, D. Luiz visitou a comunidade maronita e mesmo entronizou as relíquias do padroeiro, São Charbel. Dom Joaquim Justino Carreira também visitou a paróquia e insistiu na atividade missionária como necessidade de sobrevivência da paróquia. O novo bispo de Guarulhos, Dom Edmilson Amador Caetano, deu continuidade a essa comunhão entre as Igrejas, solicitando ao atual Arcebispo, Dom Edgard Madi, que o diácono Luiz Carlos, ordenado no rito maronita, pudesse servir também nas Igrejas latinas, coisa que já está acontecendo. Assim se compreende como natural e desejada a visita de D. Edmilson à paróquia maronita, não como uma visita canônica, mas como uma presença que expressa a comunhão entre o braço ocidental e oriental da única Igreja de Cristo. A primeira visita de d. Edmilson ocorreu em 08 de fevereiro, festa de São Marun, monge eremita e pai espiritual da Igreja Maronita. O bispo foi recebido pelo pároco, e entrou na Igreja, com chuva de pétalas de rosas, toque festivo dos sinos, enquanto o povo o acolhia festivamente, empunhando ramos de oliveira e entoando o Salmo 110 – Tu és sacerdote pra sempre. Em seguida, participou da cerimônia de iluminação do altar, própria do rito maronita, ato preparatório para a missa, que foi presidida pelo pároco, na presença do bispo D. Edmilson, a quem coube a homilia. Refletindo sobre o chamado de Jesus a São Marun, o bispo enfatizou o caráter especial da vocação monástica e eremítica, não como afastamento das pessoas, mas como proximidade de Deus, na busca intensa do Senhor na gruta interior em que o Altíssimo se manifesta. Destacou também que o “sim” de São Marun fez surgir uma Igreja que perseverou até o martírio no testemunho cristão. Manifestou igualmente sua alegria em ter na diocese de Guarulhos a presença da Igreja Maronita. Ao final da celebração da santa missa, na qual as partes principais são cantadas em siríaco-aramaico, o bispo foi efusivamente saudado pelos presentes Sem dúvida, momento de grande importância para a animação e vida da comunidade maronita, pois onde está o bispo, aí está a Igreja.