XIII Domingo de Pentecostes - A pregação da Palavra (Parábola do semeador)

Leitura da primeira epístola de São Paulo

Leitura da primeira epístola de São Paulo apóstolo aos Coríntios, e abençoe-me, Senhor (1Cor 3,1-11)

Irmãos, 1Eu não vos pude falar como a espirituais, e sim como a carnais, como a crianças em Cristo. 2Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora podeis, porque ainda sois carnais. 3Porquanto, havendo entre vós ciúmes e contendas, não é assim que sois carnais e andais segundo o homem? 4Quando, pois, alguém diz: Eu sou de Paulo, e outro: Eu, de Apolo, não é evidente que andais segundo os homens? 5Quem é Apolo? E quem é Paulo? Servos por meio de quem crestes, e isto conforme o Senhor concedeu a cada um. 6Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus. 7De modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. 8Ora, o que planta e o que rega são um; e cada um receberá o seu galardão, segundo o seu próprio trabalho. 9Porque de Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós. 10Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei o fundamento como prudente construtor; e outro edifica sobre ele. Porém cada um veja como edifica. 11Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo. E glória a Deus para sempre.

Evangelho segundo São Lucas

Do evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas, ouviremos o anúncio da vida e a palavra da salvação (Lc 8,1-15).

Disse Lucas o evangelista, 1Aconteceu, depois disto, que andava Jesus de cidade em cidade e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o evangelho do reino de Deus, e os doze iam com ele, 2e também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios; 3e Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, Suzana e muitas outras, as quais lhe prestavam assistência com os seus bens. 4Afluindo uma grande multidão e vindo ter com ele gente de todas as cidades, disse Jesus por parábola: “5Eis que o semeador saiu a semear. E, ao semear, uma parte caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram. 6Outra caiu sobre a pedra; e, tendo crescido, secou por falta de umidade. 7Outra caiu no meio dos espinhos; e estes, ao crescerem com ela, a sufocaram. 8Outra, afinal, caiu em boa terra; cresceu e produziu a cento por um. Dizendo isto, clamou: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”. 9E os seus discípulos o perguntavam-lhe o que significaria tal parábola. 10Respondeu-lhes Jesus: “A vós outros é dado conhecer os mistérios do reino de Deus; aos demais, fala-se por parábolas, para que, vendo, não vejam; e, ouvindo, não entendam. 11Este é o sentido da parábola: a semente é a palavra de Deus. 12A que caiu à beira do caminho são os que a ouviram; vem, a seguir, o diabo e arrebata-lhes do coração a palavra, para não suceder que, crendo, sejam salvos. 13A que caiu sobre a pedra são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria; estes não têm raiz, crêem apenas por algum tempo e, na hora da provação, se desviam. 14A que caiu entre espinhos são os que ouviram e, no decorrer dos dias, foram sufocados com os cuidados, riquezas e deleites da vida; os seus frutos não chegam a amadurecer. 15A que caiu na boa terra são os que, tendo ouvido de bom e reto coração, retêm a palavra; estes frutificam com perseverança”. Amém, e paz + a todos vós.